ANIME-SE | Melhor Filme?

Animações
// 15/08/2008
wall-e-e-eva

Teria Wall-E a força necessária para chegar ao topo da maior premiação do cinema? Seria pretensão demais querer abocanhar o Oscar de Melhor Filme em 2009 ou a animação está de fato num patamar superior ao que estamos acostumados?

A coluna Anime-se desta semana trata exatamente disto. Leia e deixe sua opinião: afinal, Wall-E deve se colocar no seu lugar ou está mais do que na hora das animações mostrarem o que podem fazer?

Ele conquistou milhares de fãs por onde passou, virou objeto de desejo de nove entre dez pessoas que viram seu filme, abocanhou dezenas de ótimas críticas no mundo todo e é presença certa no Oscar 2009. O mais curioso de tudo é que não se trata de um diretor renomado, nem de um galã de filme de aventura, mas já está no hall dos clássicos do cinema contemporâneo. Wall-E, o último sucesso da Pixar, tem sido cogitado por alguns como representante no Oscar… De Melhor Filme.

O curioso dessa vez é que a possibilidade de que o filme concorra em uma das categorias mais glamurosas da maior festa do cinema surgiu, aparentemente, da própria Disney e do diretor responsável, Andrew Stanton, que como diretor já foi condecorado com a estatueta de Melhor Animação com o longa Procurando Nemo, e ainda participou da produção de outros filmes premiados como Toy Story, Os Incríveis e Ratatouille. Segundo alguns rumores surgidos no blog Deadline Hollywood, a Disney e a Pixar estariam empenhados em conseguir com que Wall-E concorresse em uma das categorias mais almejadas pelos concorrentes do Oscar. O que eles alegam para que o filme seja indicado nessa categoria e não na que foi criada justamente para filmes do gênero “animação’” eu nem consigo imaginar. Dizer que Wall-E não é animação nem vale, certo? E aquele tiquinho de humanos fazendo uma ponta e se exibindo em live action não é suficiente pra descaracterizar o filme também. A técnica é apuradíssima e a perfeição dos personagens, principalmente o expressivo protagonista, é indiscutivelmente o que há de melhor no cinema hoje, mas continua sendo animação.

Fora que a tarefa não seria nada fácil. O único a conseguir o feito foi A Bela e a Fera, em 1992, e isso porque ainda não se tinha uma categoria específica para filmes ditos infantis. Mas o erro foi posteriormente consertado pela academia e, em 2001, aparentemente para que se evitasse que uma animação concorresse entre os grandes (e corresse o risco de ganhar), foi criada a categoria específica e todos foram felizes para sempre. Exceto isso, as animações entram em combate com os demais apenas para prêmios de menor expressão como Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção Original, Edição de Som… Essas categorias que só servem pra enrolar o público que assiste enquanto as mais esperadas não chegam. Claro que nenhum desses prêmios é menos digno, mas com certeza são menos desejados. Pergunte isso a Martin Scorsese que saiu do Oscar 2005 com cinco estatuetas por O Aviador, mas teve que ficar só na vontade vendo seu principal concorrente, Clint Eastwood, abocanhar os de Melhor Diretor e Melhor Filme com Menina de Ouro. Muito desagradável.

É certo que Wall-E esteja na próxima festa do Oscar e, muitíssimo provavelmente, ganhe seu prêmio, afinal é bem difícil que até lá surja um concorrente à altura para desbancar o robozinho. Mas eu pessoalmente duvido muito que a Disney consiga fazer com que os membros da academia incluam o filme em outra categoria que não seja animação e prêmios técnicos. Aliás, qual o problema em se ganhar como melhor longa de animação? Isso só confirmaria que hoje a Pixar está vários patamares acima dos demais estúdios do gênero. Por outro lado, às vezes parece mesmo um desperdício usar um filme tecnicamente perfeito e com um roteiro tão bem produzido para conquistar um prêmio que o estúdio já coleciona. Isso deve estar tão óbvio na cabeça de Stanton que ele deve desejar um pouco mais pra sua obra-prima.

Mesmo que a Pixar não consiga fazer a cabeça da bancada do Oscar, o fato é que só de se cogitar a possibilidade da briga existir é suficiente para que os fãs fiquem ligados ao desenrolar dos fatos. Seria muito curioso que, após oito anos da separação da categoria dentro da premiação, alguém fosse tentar realizar o processo inverso de tentar incluir novamente um filme do tipo entre os mais aclamados da indústria cinematográfica. As animações conquistaram muito espaço entre o público e os principais prêmios do cinema, chegando-se ao ponto de ser necessária a criação de uma categoria especial para o gênero. Agora chega Andrew Stanton dizendo que seu filme é bom demais para se contentar apenas com isso. Sinto o cheiro interessante da polêmica.

Comentários via Facebook
Categorias
Animações, Artigos