COLUNA: Oscar 2009

Artigos
// 25/01/2009

O maior prêmio do cinema mostrou ao mundo essa semana sua lista de indicados para este ano. Confira abaixo um pequeno resumo e alguns comentários a respeito da tão aguardada premiação deste ano.

Oscar 2009
Por Breno Ribeiro – crítico e colunista

No ano passado, a exibição do Oscar pelo canal de TV americana ABC atingiu um de seus índices de audiência mais baixo. Justamente por isso, houve boatos no final de 2008, quando as pré-indicações começaram a sair, que a Academia seria em 2009 o mais popular possível. Ela tentou ser e uma das provas disto reside no fato de todas as músicas do longa High School Musical 3 terem aparecido entre as finalistas para as três vagas de Melhor Canção (muito embora nenhuma delas tenha alcançado o objetivo, uma vergonha que rivaliza com as três indicações de Encantada no ano passado e sua posterior derrota para a canção “Falling Slowly” de Apenas Uma Vez). Entretanto, a Academia conseguiu de certa forma ser mais popular. As oito indicações para a maior bilheteria do ano, Batman – O Cavaleiro das Trevas, mostra bem isso, assim como as seis da aclamada animação Wall-E. Porém, sucessos de público e crítica, os dois longas não chegam nem perto do maior prêmio da noite.

Ao contrário dos últimos anos, que contaram com as presenças de Juno e Pequena Miss Sunshine, nenhuma comédia independente faz parte do leque dos cinco maiores filmes. Basicamente, todos os indicados a Melhor Filme são dramas. São eles: o adorado e odiado O Curioso Caso de Benjamin Button, o pseudo-documentário Frost/Nixon, a cinebiografia Milk – A Voz da Igualdade, o comovente e delicado O Leitor e o grande vencedor do Globo de Ouro deste ano Slumdog Millionaire (desculpem-me, mas o nome nacional é estranho demais para que eu consiga escrevê-lo). Refletindo algo que já está ficando chato de repetir (a falta de originalidade no cinema, atualmente), quatro dos cinco filmes também disputam ao lado de Dúvida o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado. Apenas Milk – A Voz da Igualdade concorre por um roteiro original, mesmo que seja baseado na vida do primeiro político assumidamente gay dos EUA a vencer eleições. Fugindo também de uma espécie de coincidência que não permitiu, nos últimos dois anos, que todos os indicados a Melhor Filme também fossem indicados para Melhor Direção (muito embora o vencedor do primeiro seja costumeiramente o reflexo do último), todos os cinco longas listados concorrem igualmente pelo trabalho de seus diretores.

Mesmo não agradando alguns críticos, o longa O Curioso Caso de Benjamin Button concorre em impressionantes treze categorias e é o maior indicado do ano. Apesar disso, seu favoritismo é grande em apenas algumas delas, como Maquiagem. Poucas são as categorias esse ano que são consideradas unanimidade entre crítico e público. Dentre elas podemos destacar Melhor Animação para Wall-E, Melhor Ator Coadjuvante para Heath Ledger em Batman – The Dark Knight e Melhor Ator para Mickey Rourke por O Lutador. As outras podem possuir um ou dois favoritos, mas não há tanta certeza nelas quanto nas pré-citadas. Assim, mesmo com seu número enxuto de indicações, o longa de David Fincher pode acabar não levando nada para casa, como ocorreu esse mês no Globo de Ouro. Com um número curto de filmes indicados, muitos deles se repetem em várias categorias, o Oscar deste ano promete ser um dos mais emocionantes e imprevisíveis, tal qual o Globo de Ouro.

Comentários via Facebook
Categorias
Artigos