CRÍTICA: A Mulher Invisível

Comédia
// 04/06/2009

Estreia amanhã mais uma comédia do cinema nacional. A Mulher Invisível, que junta Selton Mello e Luana Piovani pode ser divertido e carismático, mas não foge do padrão previsível das comédias românticas. Mas, sem dúvida, é uma prova de que o cinema nacional já aprendeu a agradar o seu próprio público.

Leia a crítica em “Ver Completo”.

A Mulher Invisível
Por Daniel Mattoso

O ano de 2009 nos traz boas surpresas em comédias brasileiras. Já tivemos os ótimos Se eu fosse você 2 e Divã, teremos ainda Os Normais 2. E somos apresentados o divertido A Mulher Invisível, o filme da Luana Piovani.

A modelo-atriz, que estampa o personagem título, é um deleite à parte. Assim como Megan Fox desvia os olhares dos robôs de Transformers, Piovani ilumina todas as cenas de A Mulher Invisível.

O filme começa com Pedro (Selton Mello) tendo uma desilusão amorosa e iniciando uma profunda depressão. Até conhecer Amanda (Luana), que é uma mulher perfeita, mas só ele consegue ver e ouvir. E nasce o dilema: ficar ou não com uma mulher sexy, compreensiva e caseira? Amanda representa uma mulher ideal e veste diversos modelos, representando as fantasias eróticas da maioria dos homens.

O longa apresenta diversas situações engraçadas, a maioria mostradas no trailer. Infelizmente, trata-se de mais uma comédia romântica melosa e previsível, mas que ainda assim diverte. Ao sermos apresentados logo no início à personagem de Maria Manoela, a outra vizinha, notamos que ela será parte de uma ponta do triângulo amoroso.

Selton Mello está bem no papel, mas ainda possui semelhanças de outros trabalhos, principalmente no jeito sussurrado de falar. A revelação Manoela tem uma boa oportunidade de solidificação de seu trabalho. Luana, que só contracena com Selton, é quem comanda o filme. Seria difícil pensar no longa sem a presença da atriz. O elenco ainda é abastecido de Vladimir Brichta – como o amigo canalha de Mello – e Fernanda Torres, o melhor do filme.

Cláudio Torres – irmão da atriz Fernanda – conseguiu realizar seu melhor trabalho até aqui. Redentor e A Mulher do Meu Amigo são seus outros trabalhos mais notáveis. Apesar do roteiro fácil, o diretor conseguiu a proeza de não cair no clichê que o gênero pedia. Nos apresentou um enredo simples, mas coerente e que agradará em muito, por incrível que pareça, o público feminino.

A Mulher Invisível (Brasil, 2009). Comédia romântica. Warner Bros.
Direção: Cláudio Torres.
Elenco: Selton Mello, Luana Piovani, Vladimir Brichta.

Comentários via Facebook