CRÍTICA | Corra!

Críticas
// 19/05/2017

Graças a uma série de fatores, que incluem a violência, muitas vezes explícita, e os temas inquietantes de que costuma tratar, o terror é um gênero peculiarmente auto-contido. Isso significa que a audiência cativa de aficionados está sempre em busca de novas pérolas, mas o público em geral ou mantém distância, ou assiste apenas a superproduções do segmento, como os Chamados e Sexto Sentidos da vida. De vez em quando, contudo, acontece de um exemplar transcender o rótulo e merecer o olhar massivo da audiência. É o caso de Corra!.

Sob a batuta do diretor estreante Jordan Peele, que também escreveu o roteiro, trata-se de um filme que, além de propor, de forma incisiva e sagaz, uma discussão sobre a espinhosa questão do racismo, realiza também uma exploração dos limites e convenções do suspense/horror semelhante à feita no igualmente relevante Corrente do Mal em escopo, personalidade e ambição. Assim como no filme de 2014, o que temos aqui é uma história que utiliza engenhosas extrapolações metafísicas para escancarar questões reais que estão presentes no cotidiano de todos nós.

A trama parte de uma visita que o jovem negro Chris Washington (Daniel Kaluuya) fará à tradicional família branca da namorada Rose (Allison Williams, da série Girls) em uma casa afastada de tudo em um daqueles ricos subúrbios norte-americanos. O casal, com afiadas interpretações de ambos os atores, viaja até o lar de Dean e Missy Armitage (Bradley Whitford e Catherine Keener, respectivamente, também ótimos), onde uma situação sinistra está à espreita.

O longa faz um trabalho admirável de desenvolvimento sutil, mas contínuo, da tensão, entremeado por momentos que até parecem humorísticos, mas cujos risos resultam, na maioria das vezes, mais do constrangimento gerado pelo racismo velado dos abastados parentes e amigos da família de Rose, do que de alguma comicidade real. A exceção está nas cenas que incluem Rod Williams na posição de amigo-alívio-cômico até certo ponto estereotipada, ainda que o personagem, interpretado por Lil Rel Howery, seja divertidíssimo e tenha participação fundamental na trama. A ação de fato demora a acontecer, mas, quando por fim é desencadeada, é impiedosa e brutal.

Com o auxílio da trilha sonora certeira, as diferentes camadas em que a história opera, o cuidado com detalhes e as várias referências imagéticas e temáticas ao horror da escravidão – bem como a clássicos congêneres como A Noite dos Mortos-Vivos, As Esposas de Stepford e a obra de HP Lovecraft – tornam Corra! um daqueles filmes que recompensam repetidas assistidas. A primeira, no entanto, certamente permanecerá a mais memorável delas.


Get Out (EUA, 2017). Suspense/Terror. Blumhouse Productions.
Direção: Jordan Peele
Elenco: Daniel Kaluuya, Allison Williams, Lil Rel Howery, Catherine Keener, Bradley Whitford.

8-pipocas

Comentários via Facebook
Categorias
Críticas, Suspense, Terror