CRÍTICA: Ele Não Está Tão a Fim de Você

Comédia
// 26/03/2009

Comédia romântica por si  já contém uma premissa discutível e poucas vezes diferenciada. Os meios se diferenciam, mas os fins são iguais e os desfechos parecem óbvios. Sem fugir da regra, Ele Não Está Tão a Fim de Você estreia amanhã no Brasil. O diferencial é o elenco em grande número de estrelas (caríssimas, por sinal) que patinam numa história enfraquecida.

Ele Não Está Tão a Fim de Você
Por Débora Silvestre

No sábado, dia 21 de março de 2009, o Globo Online publicou que o grande e atual sucesso literário é aquele que aposta nos conselhos amorosos dados por homens às mulheres, e essa é a aposta de Ele Não Está Tão a Fim de Você, bestseller que ganhou seu filme recém chegado ao Brasil. No longa, como em muitas (senão, em todas) comédias românticas, o que está em questão é encontrar o grande amor, mesmo com todas as complicações da atualidade e do ser humano. Apesar de ter grandes estrelas do cinema como Ben Affleck, Drew Barrymore, Jennifer Connelly, Jennifer Aniston, Scarlett Johansson, Kevin Connolly, Bradley Cooper e Justin Long, não é garantia de algo diferente do gênero, ou de um grande filme, além de se poder deduzir logo de início o que acontecerá com cada personagem. Aliás, todos eles são apagados e insossos, levando a crer que poderiam render muito mais. Entretanto, o longa possui 129 minutos, então, dá para cada um ter o seu clímax, mesmo esse não sendo tão alto assim.

O filme gira basicamente em torno das personagens femininas, e cada uma vive um dilema diferente que é identificável com os de qualquer mulher. Deve ser por isso que colocaram quatro mulheres com histórias não tão diferentes umas das outras, e que deixa a sensação de que estas não sabem ao certo o que querem. Os personagens masculinos representam os homens que fazem as pobres e indefesas donzelas se debulharem na vida real, mas na trama eles não chegam a sofrer por isso (com exceção do personagem de Ben Affleck). De qualquer forma, o provado é que não sabem como lidar com os problemas daquelas com as quais se relacionam. Assim, Ana (Scarlett Johansson) não sabe que decisão tomar: se fica com seu amigo “babão” Cornor (Kevin Conolly) que saiu um dia com Gigi e nunca mais ligou para ela, ou se fica com Ben (Bradley Cooper), marido de Janine. Beth (Jennifer Aniston) tem um relacionamento que causaria inveja a qualquer mulher, mas termina com Neil (Ben Affleck), seu namorando lindo e super apaixonado, porque ela quer se casar e ele não (detalhe: eles moram juntos há 7 anos). E assim por diante, até que o filme se transforma numa quadrilha tipo a de Drummond, em que fulano que gosta de beltrano que gosta de sicrano; com direito a Lili (aquela que não amava ninguém).

O filme ainda remete ao livro não apenas no título principal, mas também porque no seu desenrolar utiliza títulos como os de capítulos de livros, remetendo também aos de documentários. Quem participa desses são “pessoas comuns” em depoimentos recolhidos com espontaneidade. Muitas vezes, esses depoimentos são mais interessantes que a trama, na qual os casais não possuem “química”, mesmo o espectador torcendo por eles. Os depoimentos são verdadeiros, sinceros e quem assiste acredita se convence, mérito que os atores não atingem. É importante ressaltar que existem dois tipos de interpretação: uma é puramente técnica e imita a verdade, a outra, também é puramente técnica, mas vivência a verdade. O elenco de Ele Não Está Tão A Fim de Você não alcança nenhuma das duas.

A trama é feita a partir das desculpas que cada personagem quer acreditar, tornando uma constante a frase no filme: “aconteceu com uma amiga da minha amiga”, e se de repente viesse uma daquelas histórias bem absurdas, o filme ficaria mais interessante. Sendo assim, cabe à Gigi (Ginnifer Goodwin) a comédia (ou sorrisinhos) do longa, já que ela é uma romântica incurável e cria um milhão de meios ou desculpas para se relacionar com os caras que não estão tão a fim dela (até ela descobrir que o amor da vida dela era aquele cara que estava ali o tempo todo).

Porém, para um filme que já arrecadou até agora $ 91.564.000 (traduzido em cachês para as estrelas), este não é do piores. Não há muito o que esperar além do fato de que determinada pessoa pode não estar tão afim de você, porque terá outra tão bonitinha quanto que estará. Afinal, tudo em comedia romântica tem final feliz, e essa não é diferente.

He’s Just Not That Into You (EUA, 2009). Comédia. New Line Cinema/ Play Arte
Direção: Ken Kwapis
Elenco: Jennifer Aniston, Jennifer Connelly, Ben Affleck, Scarlett Johansson

Comentários via Facebook
Categorias
Comédia, Críticas, Romance