CRÍTICA | Madagascar 2 – A Grande Escapada

Animações
// 12/12/2008
madagascar-2

Dando prosseguimento às continuidades iniciadas com a franquia Shrek e início àquelas anunciadas pelo estúdio para os próximos anos, a DreamWorks lança, sob grande expectativa de um público já certo, Madagascar 2: A Grande Escapada.

Como não poderia deixar de ser, mais uma vez a história gira em torno do quarteto Alex, Marty, Glória e Melman, que novamente se encontram em apuros devido a uma viagem nada segura. O grupo de animais que acabou caindo acidentalmente na ilha de Madagascar planeja sua volta a Nova Iorque e, para isso, conta com a ajuda dos hilários pinguins que foram grande sucesso no primeiro filme. Mas, como as aves não são que se possa chamar de mecânicos e pilotos de muita categoria, algumas coisas saem do controle. Embora a precária aeronave consiga decolar e seguir vôo durante algum tempo, ela acaba caindo em algum lugar da África. Os amigos percebem logo que não chegaram a sua antiga casa. E o público, também instantaneamente, sabe que o leão que recebe os quatro tripulantes vindos da ilha é na realidade Zuba, o pai de Alex, que havia se perdido de sua família ainda criança.

A partir desse momento, cada uma das quatro pontas que forma o núcleo de Madagascar 2 encontra-se em conflito, precisando tomar decisões e, acima de tudo, se reconhecer como indivíduo pertencente ao bando de que faria parte se não fossem astros de um zôo na cidade grande. Alex precisa provar que é digno de ser o sucessor do trono de seu pai; Glória está à procura de um hipopótamo macho para criar raízes; Marty precisa lidar com o fato de que é similar demais às outras zebras; e Melman luta contra seu sentimento em relação a Glória, ao mesmo tempo em que se torna o curandeiro da selva.

Todos os elementos que alcançaram grande sucesso no filme original estão de volta na sequência. Não se abriu mão dos pingüins que já haviam roubado a cena (e agora parecem repetir o feito), dos lêmures, liderados pelo bizarro rei Julien, das paisagens africanas. Até mesmo a aparentemente indefesa velhinha que aplica uma surra em Alex está de volta, mais valente do que nunca. Outras novidades foram adicionadas. Uma das principais é a participação do rapper Will.I.Am como intérprete do hipopótamo Moto Moto, pretendente de Glória.

Mais uma vez, a trilha sonora ficou por conta de um inspirado Hans Zimmer. Apesar de poder soar como falta de criatividade aos ouvidos de alguns, o sucesso “Eu me remexo muito” (em inglês, I Like To Move It) está de volta com uma nova roupagem, uma letra um tanto modificada, mas o refrão ainda é o mesmo que caiu no gosto de muitos fãs. As músicas apresentam uma agradável combinação de estilos, variando do pop, passando por influência das trilhas de faroeste e chegando aos clássicos. Nem “New York, New York” escapou de ter uma versão estilizada para o filme. Além disso, aproveitando-se do fato de que um dos personagens é dublado por um músico, Moto Moto ganhou seu próprio single, “Big and Chuncky”, gravado pelo próprio Will.i.am na versão original.

Entre acertos e erros, certamente Madagascar 2 agradará àqueles que já simpatizavam com o primeiro filme, afinal a receita é a mesma e arrancará risadas de crianças e adultos. As constantes ironias em relação à cidade Nova Iorque e seus habitantes, que chegam a ocupar o lugar dos verdadeiros selvagens em contraste com o comportamento dos animais nativos, é um atrativo à parte. Porém, é impossível não perceber que o roteiro de Etan Cohen está longe de ser original. A trama principal, configurada pelo conflito entre Alex, herdeiro do reino de Zuba, e Makunga lembra muito aquela vivida por Simba e Scar em O Rei Leão. Entre sabotagens e feitos para que o verdadeiro merecedor do cargo seja revelado, a diferença entre as histórias, basicamente, é que o longa lançado pela Disney em 1994 tem uma profundidade emocional muito melhor desenvolvida.


Madagascar: Escape Two Africa (EUA, 2008). Animação. DreamWorks Pictures.
Direção: Eric Darnell, Tom McGrath
Elenco: Elenco: Chris O’Brocki, Sacha Baron Cohen, David Schwimmer, )Jada Pinkett Smith, Ben Stiller

Comentários via Facebook