CRÍTICA: Monstros Vs. Alienígenas (II)

Animações
// 03/04/2009

Está estreando hoje no Brasil Monstros Vs. Alienígenas, primeira aventura infantil em animação totalmente em 3-D da DreamsWorks Pictures, que andou as bilheterias americanas no último fim de semana. O longapromete repetir o mesmo sucesso aqui no Brasil, mas tem méritos pra isso? Confira a segunda crítica!

Monstros vs. Alienígenas (Crítica II)
Por Débora Silvestre – Crítica e Colunista

A nova produção da DreamWorks segue a mesma linha de produção de seus predecessores, como Shrek, e Kung Fu Panda. Porém, esta tem um diferencial: sua versão em 3D, que de fato é muito boa.

A empresa é ainda conhecida como realizadora de grandes produções e sucessos, como os já mencionados, tanto que já levou alguns Oscars para casa. Entretanto, aqueles outros filmes investiram em algo além de boa produção (como boas piadas), coisa que Montros Vs. Alienígenas não faz, deixando a sensação de que não vai além do 3D.

Tal pode se comprovar em algumas comparações rápidas, sem muita atenção a análises mais profundas. A produtora se especializou em tramas que tratam sobre aquele que é diferente e que, por isso, é descriminado pelo grupo social no qual está emerso. Shrek (principalmente o primeiro) é assim, como também Procurando Nemo (exemplo da Disney), ambos possuem o final feliz em que esse diferente se aceita e é aceito naquela determinada comunidade. A nova animação possui a mesma fórmula, não há variação alguma. Não seria a hora de a DreamWorks investir em algo diferente? Buscar novos enredos e manter uma qualidade de produção que começa a ser contestada. É nesse ritmo que Monstros Vs. Alienígenas não surpreende em nada, até mesmo nos muitos efeitos especiais. Há uma quantidade tão grande deles em 3D que em poucos minutos de projeção o espectador já se acostumou a eles; quando há algo naquela tecnologia um pouco mais diferente, não causa a menor surpresa no espectador. Há, inclusive, elementos, como alguns dos cenários, que poderiam perfeitamente não serem criados naquela tecnologia. O diretor, Rob Letterman, afirmou que a idéia inicial de projeção era em 3D, mas muitas salas de cinema não são equipadas com essa capacidade digital, então, fez-se também a versão em 2D, que tem ritmo mais rápido, já que o cérebro humano também captar melhor as informações nessa tecnologia. Sendo assim, o que poderia ser uma ‘perda’, se tornou um ganho, num momento em que o 3D surgiria apenas como elemento que tornaria a projeção mais interessante e encantadora (como em Coraline, de Henry Selinck).

Mas um dos pontos que demonstra alguma evidência de certa falta de autonomia na produção é o fato de que a protagonista, Susan/Ginormica, é a atriz que a dubla, Reese Witherspoon. Com absoluta certeza, na dublagem do personagem, o ator passa muito de si para aquele a quem dubla, mas não necessariamente a construção do personagem tem que ser de forma que deixe aquele ator em forma de animação. Algo que não é encontrado na série Shrek, em que Cameron Diaz dubla a Princesa Fiona mantendo a independência entre as duas figuras. Em Monstros Vs. Alienígenas, olhar para Susan é olhar para personagens de Reese Whiterspoon, a evolução da personagem no longa é a mesma evolução que uma personagem de Legalmente Loira teria, incluso suas atitudes são as mesmas. Até o corte de cabelo das duas são iguais. É sabido que já na pré-produção a personagem Ginormica foi pensada como Reese Whiterspoon, que aceitou o papel de imediato. Mas até que ponto esse fato influenciou, levando a animação ter tais características?

Animação por diversão, Montros Vs. Alienígenas é garantido para toda a família. Sendo uma produção que levou quatro anos para ficar pronta, poderia oferecer muito mais que muitos efeitos em 3D e a mesma forma de se contar histórias. Porém, os personagens secundários (como os outros monstros) são bons, principalmente B.O.B, que faz a mesma linha de ‘bobalhão apaixonante’ de Dory (Procurando Nemo) e, calro, o presidente do Estados Unidos, que é uma piada a parte.

——————–

Monsters Vs. Aliens (EUA, 2009). Animação. DreamWorks Animation.
Direção: Rob Letterman e Conrad Vernon
Elenco: Reese Whiterspoon, Seth Roger, Kiefer Sutherland, Hugh Laurie

Comentários via Facebook