CRÍTICA | Será Que?

Comédia
// 26/09/2014

Protagonizada por Daniel Radcliffe e Zoe Kazan, de Ruby Sparks, a comédia romântica Será Que? discute os eternos dilemas da amizade entre homens e mulheres – ou, em certas cenas, meninos e meninas. Com a exceção de alguns momentos hilários, contudo, o longa não vai muito além de uma versão com estética indie do ancestral Harry e Sally, de 1989.

 

Será Que?
Por Gabriel Costa

A história é provavelmente só alguns séculos mais jovem que andar pra frente. Cara conhece garota e fica interessado. Garota tem namorado. Cara e garota decidem virar só amigos. Mas… é só impressão deles ou tem algo mais ali? Esses sentimentos são normais? São corretos? O diretor Michael Dowse aborda essas questões neste longa canadense-irlandês que foi lançado em 2013 no Festival Internacional de Cinema de Toronto e chega agora aos cinemas nacionais.

Wallace (Radcliffe, o cara, no caso) e Chantry (Kazan, a garota) dividem o impasse em que se encontram em graus variados de consciência, honestidade e clareza com o colega de quarto dele, e primo dela, Allan (Adam Driver, de Girls); o namorado de Chantry, Ben (Rafe Spall); a irmã dela, interessada nele, Dalia (Megan Park); e a namorada de Allan, Nicole (Mackenzie Davis). Esse último casal, aliás, supera de longe os dois protagonistas em termos de maturidade e sensatez, o que não deixa de ser surpreendente levando em conta o número de piadas envolvendo fezes que Allan faz ao longo do filme. Adam Driver traz bastante de seu homônimo de Girls para o personagem, e acaba protagonizando vários dos momentos mais engraçados do longa.

O problema é que, se o filme de fato pretende, como deixa transparecer em alguns momentos, expor a relação dos protagonistas de uma forma aprofundada e desprovida de moralismos, essa intenção se perde em meio a clichês batidíssimos de comédia romântica e um embelezamento de princípios que corta grande parte da possibilidade de identificação com os personagens. Radcliffe e Kazan têm carisma de sobra como Wallace e Chantry, mas a trama força os limites da relação entre ambos ao ponto da inverossimilhança, ao mesmo tempo em que parece buscar distância de uma estrutura de “conto de fadas” no estilo de obras que caminham mais ou menos na mesma linha, como 10 Coisas que Eu Odeio em Você e O Casamento do Meu Melhor Amigo.

 Enquanto o ritmo bem encaixado do primeiro terço do filme dá a impressão de um sopro de ar fresco em um gênero saturado, o andamento desigual do tempo dedicado a cada um dos estágios da interação e dos sentimentos dos protagonistas daí em diante chega a gerar irritação, ainda que pontuados pelas divertidas participações de Allan e Nicole. Talvez isso se deva a dificuldades na adaptação do texto original da peça de teatro Toothpaste and Cigars, no qual o roteiro é baseado. Seja qual for o caso, a sensação é que, com uma pitada a mais de ousadia na mensagem e execução, Será Que? poderia ser memorável. Na condição alcançada de diversão esquecível, porém, o público pode apenas seguir o questionamento do título e imaginar como seria se as coisas fossem um pouquinho diferentes.

——————————————————————————————–

What If (Irlanda/Canadá, 2013) Comédia romântica. No Trace Camping/Caramel Film.
Direção: Michael Dowse
Elenco: Daniel Radcliffe, Zoe Kazan, Adam Driver, Megan Park

 

 

Comentários via Facebook
Categorias
Comédia, Críticas, Romance