CRÍTICA: Um Dia

Críticas
// 01/12/2011

Amanhã chega aos cinemas nacionais o longa Um Dia, uma prazerosa experiência sobre o ato de lidar com as transformações da vida, que muitas vezes influenciam até mesmo num amor à primeira vista.

Leia a crítica clicando em “Ver Completo”.

Um Dia
por Cássia Ferreira

No folclore britânico, a história de São Swithin, celebrado no dia 15 de julho, está intimamente ligada ao clima, ao sol e a chuva. De acordo com a tradição, se chover naquela data, os 40 dias seguintes serão de água em abundância. Se houver estiagem, os mesmos 40 dias serão secos. É como se essa data fosse determinante para os dias que virão. Na Inglaterra há quem conteste essa informação popular, mas para Emma Morley e Dexter Mayhew o dia se São Swithin será determinante para toda vida.

E é esse dia o condutor do filme Um Dia. Emma (Anne Hathaway) e Dexter (Jim Sturgess) são dois estudantes que se conhecem e passam somente um dia juntos. A partir daí, não conseguem mais se separar. Ali é firmado um laço forte de amor e amizade que os manterá juntos pelo resto da vida.

São 20 anos de histórias contados a partir dos acontecimentos relacionados com o dia 15 de julho. É como se a chuva ou o sol os impedisse de ficarem juntos ou os guiasse para caminhos diametralmente opostos; para as alegrias e frustrações que o amadurecimento e vida nos apresentam quando somos obrigados a sair do conforto da juventude e começar a encarar a vida adulta. Quando somos obrigados a entender, de qualquer forma, que a vida pode não ser uma eterna festa.

O encantamento da história dirigida pela dinamarquesa Lone Scherfig (Educação) e baseada no romance homônimo de David Nicholls (Intríseca, 2011) está na sua humanidade e na verossimilhança com a realidade, por mais que queiramos, ao procurar uma sala de cinema, fugir dela. A narrativa simples e o roteiro bem amarrado cumprem o papel de divertir e emocionar o espectador, sem muitas afetações tecnológicas.

A trilha sonora, que perpassa por grandes hits desde o final década de 1980 – a história começa em 1988 – também merece uma atenção especial. De Elvis Costello, passando por Corona, Primal Scream e Fatboy Slim, se você tem idade semelhante a dos personagens, certamente essas músicas te conduzirão a lembranças.

O cenário é Londres, mas é impossível não se identificar com os personagens. O medo de não encontrar o caminho certo, de não alcançar o sucesso, de não agradar a família. Os equívocos amorosos. As frustrações. As escolhas erradas. Enfim… Talvez essa seja uma das razões do sucesso do filme que estreiou na nona posição nos Estados Unidos.

Um Dia é um filme para ver com os amigos e com a família, celebrar a vida e os momentos que são fugazes e, um dia, escapam. Mas não vale ficar triste por isso.

——————————

One Day (EUA, 2011). Romance. Universal Pictures.
Direção: Lone Scherfig
Elenco: Anne Hathaway, Jim Sturgess, Romola Garai, Patricia Clarkson
Trailer

Comentários via Facebook
Categorias
Críticas, Drama, Romance