Primeiras Impressões: MAX PAYNE

Ação
// 12/11/2008

Com estréia marcada para o próximo dia 21 de novembro, Max Payne se tornou uma das adaptações dos games mais aguardadas de todos os tempos. Mas o filme vai agradar aos fãs da série das plataformas? Confira o Primeira Impressões de Max Payne. A crítica do filme será publicada no dia 19, dois dias antes da estréia!

Primeiras Impressões: Max Payne
por Arthur Melo

Fãs do game é melhor se sentarem. Apesar das alfinetadas de Mark Wahlberg em Batman – O Cavaleiro das Trevas, alegando que Max Payne teria uma “áurea” de maior complexidade, o longa não chega nem perto de ameaçar. Com uma história que foge do explorado pelo game que o originou e um roteiro que salienta  atoda hora o gênero policial clichê que é parte da essência do filme, alguns fãs podem sair da sala de projeção decepcionados. E não precisa sequer ter se aventurado no jogo para ter essa sensação.

Apesar das falhas, Max Payne se sai muito bem na sua técnica. Os efeitos visuais causam deslumbres em algumas contruções de cenas, a edição de som é produtiva e os efeitos sonoros são impecáveis. O clima sombrio e tortuoso do game, ao menos, está lá: a direção de arte, aliada à fotografia, cumpriu bem uma grande parcela dos bons resultados da composição visual mesmo quando a computação gráfica não marca presença.

O critério de desempate ficou mesmo com as atuações e personagens, que dragam o filme para baixo. Walhberg não está em seu melhor momento no papel e Mila Kunis tem uma participação inexpressiva que só ganha destaque em poucas cenas de ação. Mas o longa tem seus pontos positivos, se posicionando bem além do que o esperado para uma produção baseada em videogames, visto os maus exemplos que o cinema americano tem empurrado nesta categoria para o público.

Max Payne, dirigido por John Moore e distribuido pela 20th Century Fox, estréia dia 21 de novembro aqui no Brasil.

Comentários via Facebook
Categorias
Ação, Críticas, Suspense