This is It

Artigos
// 28/10/2009

A pré-estreia mais badalada do ano movimentou as salas de cinema do mundo inteiro. Famosos da música, do cinema e da TV foram os primeiros a conferir This is It, documentário sobre Michael Jackson que mostra os seus minutos finais de existência nos ensaios para a sua então nova turnê de shows que começaria em londres.

Nós conferimos, mas, desta vez, não é uma crítica propriamente dita que viemos apresentar. Janaina Pereira, assistiu nesta madrugada o longa e passa na forma de uma coluna extra toda a expectativa e emoção que o documentário representa para os fãs. Sim, porque eles, os fãs, são os mais interessados. This is It é isto: uma obra póstuma de valor inestimável que Michael Jackson deixou para os seus seguidores mais ávidos.

Leia em “Ver Completo” e saiba os detalhes do filme dirigido por Kenny Ortega.


This is It
por Janaina Pereira

São Paulo, 23 horas, cinema Kinoplex Itaim. Duas salas reservadas para a pré-estreia de This is it, o filme que mostra os ensaios para aquele que seria o último show do Rei do Pop.

O silêncio é total na sala de cinema. Não há a mastigação de pipoca, canudinhos de refrigerante fazendo barulhinhos, suspiros, nada. Parece um minuto de silêncio pelo Rei. Na tela, a la abertura de Star Wars, explica-se que as cenas a seguir são imagens dos bastidores e dos ensaios de Jackson para a turnê de 50 shows em Londres.

Dedicado aos fãs, This is it já mostra, na primeira cena, que foi feito para chorar. A imagem de Michael, magérrimo mas sem o aspecto sombrio tão alardeado, dá arrepios. O Rei está vivo, pelo menos por 112 minutos de projeção.

O filme é uma colcha de retalhos que mistura imagens de Michael ensaiando com depoimentos de sua equipe elogiando o astro. Muitas vezes o que ouvimos são músicas gravadas, já que nos ensaios Michael poupa a voz. Mas quando canta… céus, o que é aquilo? A voz falha, mas de repente lá vem ele fazendo dueto com a backing vocal em I just can´t stop loving you … e ele mostra que ainda está em forma.

O show seria um estrondo, isso fica bem claro. Muitos efeitos especiais, banda e dançarinos afiados, tudo da melhor qualidade. Michael é perfeccionista, dedicado, presente. E é curioso dizer que ele, hoje ausente, estava tão presente nos ensaios. É emocionante ver sua dedicação para que as músicas tenham os mesmos arranjos dos discos. Às vezes ele cansa, não acompanha o ritmo de suas canções mas não perde, jamais, o rebolado.

Lá pelas tantas Michael canta I’ll be there e fala que, naquele momento do show, citará o nome dos irmãos e pais. Fala que os ama. Pausa para a família Jackson mostrar que o rebento os adora. Então tá, a gente finge que acredita.

O trio de músicas eternas fica para o fim. E a sequência de Thriller, Beat it e Billie Jean é de pular da cadeira e dançar sem parar. Em Billie Jean, particularmente, ele mostra grande euforia. É minha música preferida dele e o meu momento de emoção. Ai eu paro e penso: eu nunca vou ver isso ao vivo, ele morreu. Se o filme era para causar essa comoção nos fãs, conseguiu.

Tudo acaba com Man in the mirror, talvez a mais bela letra de MJ – como ele é chamado por sua trupe o tempo todo. A imagem do Rei do Pop, de braços abertos e a frase ‘Love lives forever’ é piegas mas funciona: lágrimas rolam entre o público. Aplausos não. Injusto: Michael merece todo respeito, embora o que fizeram com a imagem dele – velório-show e filme-retalho-show, não seja realmente justo.

This is it não é para qualquer um. É para quem admira o cara que revolucionou a música e se tornou uma das figuras mais importantes do mundo. Eu gostei sim, embora tenha saído do cinema com a tristeza e a frustração de que nunca mais vou vê-lo ao vivo e a cores.

O Rei está morto, mas sua música, ainda bem, está mais viva do que nunca.

É isso. Salve, MJ!

This is It! (EUA, 2009). Documentário. Musical. Sony Pictures
Direção: Kenny Ortega
Elenco: Michael Jackson

Comentários via Facebook