[ATUALIZADO] Warner quer reboot de Batman. Liga da Justiça em 2013

Ação
// 31/03/2011

Com a saída de Alan Horn da presidência da Warner Bros., algumas decisões inesperadas serão tomadas adiante. E algumas são, se não incríveis (no sentido literal), assustadoras.

De acordo com fontes que já sabem como funciona o roteiro de Batman – The Dark Knight Rises, a Warner Bros estaria realmente contente com a produção, mas não com o final da trama. O que há é que Christopher Nolan o fez de uma forma que não daria margem para continuações. O que é perfeitamente compreensível. Afinal, Nolan é o grande responsável pela excelência inquestionável da trilogia atual do Homem-Morcego, e deixar esse produto livremente nas mãos de um estúdio sem exercer poder sobre ele futuramente é sempre um perigo de novas continuações para mancharem a imagem de um trabalho bem feito. Então o melhor mesmo é selar a trama.

Mas tudo seria contornável. A Warner estaria pensando em fazer um reboot do Batman. Sim, começar tudo de novo, do zero, assim como a Sony Pictures está fazendo com o Homem-Aranha. E antes que isso pareça uma peripécia injustificada, há motivos. O estúdio ainda planeja lançar um filme da Liga da Justiça (até porque Os Vingadores, da concorrência, estão batendo na porta e prometem fazer estrago). Para isso, Batman deveria estar incluso, o que não faria sentido se tudo se encerrasse da maneira como Christopher Nolan colocou em The Dark Knight Rises. A saída seria criar uma nova trama do herói no cinema e estruturando o personagem em um perfil que permitisse a sua estadia junto aos outros na Liga, e ainda com Christopher Nolan na dança; agora como produtor e não mais diretor. Só que há um porém: a Warner planeja Liga da Justiça para 2013. Algo que com certeza não vai acontecer (Dark Knight Rises e Superman – O Homem de Aço chegam em 2012). E, se quiserem fazer a coisa funcionar, terão de encomendar ainda um longa da Mulher-Maravilha (e o sucesso da série de TV em produção atualmente pode determinar isso) e um do Flash, já que Lanterna Verde está prestes a estrear.

A torcida fica para que a Warner Bros. continue se dando muito bem com o seu time criativo. Bem ou mal, é uma empresa, um estúdio que tem como intuito gerar lucros. Mas Alan Horn fez um trabalho interessante. Diferente de outros gigantes do cinema que preferem se meter diretamente na produção de seus longas para torná-los mais “comercial” (leia “estragar”), Horn e a Warner deixaram o caminho livre para os diretores e produtores trabalharem como bem entendem. E foi assim que conseguiram transformar Harry Potter e Batman nas duas maiores séries da atualidade – tanto no BoxOffice quanto no Rotten Tomatoes. É perfeitamente aceitável que, com o final destas duas franquias quase que ao mesmo tempo, medidas como estas sejam tomadas. Agora, é esperar para que a nova presidência não desencaminhe o que já está indo bem.

ATUALIZADO: Foi divulgado por fontes seguras que o filme da Liga da Justiça não terá relação com os filmes de heróis da DC Comics em desenvolvimento. Sendo assim, a produção não será semelhante ao que a Paramount Pictures tem feito com a Marvel, levando o universo inteiro para o cinema e mantendo suas conexões. Isso significa também que outros atores interpretarão os personagens no filme da Liga, ao invés dos seus respectivos representantes nas produções atuais.

Comentários via Facebook
Categorias
Ação, HQ's